Best tips to run your purchasing department

Also available in: English Español

Melhores dicas para seu departamento de compras

Sempre há espaço para melhorar as atividades diárias do departamento de compras. Por isso preparamos e compilamos 4 ótimos artigos para ajudá-lo a otimizar sua rotina. Aproveite!

 

Recebi as cotações, como compará-las?

Como montar um bom pedido de compras

7 KPIs estratégicos para o setor de compras

Opex X Capex: qual o ideal para a indústria 4.0?

 


Recebi as cotações, como compará-las?

People comparing Spare parts quotations

As cotações fazem parte do processo de compra de todas as empresas. Como você provavelmente sabe, primeiro vem uma demanda de um dos departamentos da empresa. Em seguida, os fornecedores.

As cotações são utilizadas para que o contratante possa compreender em que condições o fornecedor irá trabalhar, o preço cobrado pelo produto ou serviço, os prazos, as especificações técnicas de entrega, os métodos de pagamento e muito mais.

É através das cotações que o departamento de compras escolhe o fornecedor. Embora pareça um processo muito simples, as cotações têm algumas peculiaridades que podem fazer toda a diferença no preço final do produto ou serviço.

É muito importante aprender a comparar cotações, saber quais informações são relevantes e como você pode colocar fornecedores em concorrência. O estágio de cotações é um dos primeiros passos no processo de compra, e um dos mais importantes para o sucesso da compra!

Confira!

Outro fornecedor, outra cotação

Cada fornecedor apresenta suas cotações em seu próprio formato. Isso significa que o departamento de compras de sua empresa receberá centenas de cotações diferentes para o mesmo produto ou serviço, que nem sempre vão conter as mesmas informações ou estarão nas mesmas condições.

Alguns fornecedores, por exemplo, incluem o custo de transporte de mercadorias na cotação; outros permitem ao cliente buscar os produtos diretamente na fábrica ou no distribuidor. Alguns oferecem preços baixos, mas determinam quantidades mínimas para garantir esse valor; outros trabalham sempre com o mesmo preço fixo, mas oferecem outras condições vantajosas.

Devido a essas distinções, é crucial saber o que verificar para comparar cotações. Separamos alguns pontos que você não pode deixar de verificar em uma cotação, e que são critérios de escolha entre os fornecedores:

Especificações técnicas

Verifique sempre as especificações técnicas da cotação. Isso inclui todas as informações sobre o produto, como peso, cor, tamanho e outros dados. É importante que a cotação especifique as condições em que o produto chegará na entrega, montado ou desmontado, e se o fornecedor oferece ferramentas e equipe para montagem, por exemplo.

Unidade e embalagem

Falando em condições, é fundamental verificar as especificações de unidade e embalagem. Alguns produtos são comprados em grandes quantidades, como pequenas peças avulsas, ferramentas, parafusos, pregos. Outros são comprados apenas em caso de necessidade ou em pequenas quantidades, motores por exemplo. A cotação deve especificar em qual unidade o produto será comprado (por exemplo, em libras ou quilos, centenas ou milhares), bem como a embalagem na qual será entregue.

A embalagem é muito importante porque tem uma influência direta sobre o preço! Alguns insumos são transportados em caixas de paletes de madeira, outros em sacos de plástico com plástico bolha ou pedaços de espuma para proteção, e isso faz toda a diferença no preço final.

O transporte também deve ser avaliado. O frete aéreo é mais rápido, porém mais caro, enquanto o transporte rodoviário ou ferroviário podem ser mais baratos, apesar dos maiores riscos de acidentes e de um prazo mais longo. O transporte por navios envolve tarifas portuárias, além do tempo de carga e descarga, exigindo uma análise completa do preço e prazo estimados.

O que nos leva ao próximo ponto de verificação.

Data limite

O tempo de entrega é talvez a informação mais fundamental da cotação – após o preço final, é claro. O prazo de entrega deve estar alinhado com o que a empresa especifica na ordem de compra, e o fornecedor deve comprometer-se a cumprir esse prazo, salvo circunstâncias extremas, como acidentes ou greves, por exemplo.

Condições de pagamento

Cada fornecedor recebe o pagamento da forma que melhor lhe convém. Alguns oferecem a opção de parcelas com entrada, outros não solicitam pagamento de entrada, outros oferecem descontos para pagamento em dinheiro, e assim por diante. As condições de pagamento devem ser muito bem discriminadas na cotação, uma vez que é um fator primordial para a escolha final do fornecedor!

Validade da proposta

Todas as cotações têm uma data de validade. Atente-se para isso! Certifique-se de que a cotação que lhe foi enviada é válida por tempo suficiente para fazer a compra nessas condições, uma vez que o processo de seleção de preços e fornecedores pode ser um pouco demorado.

Local e condições de entrega

As cotações dos fornecedores geralmente indicam o local de entrega do produto. Pode ser na própria empresa, na fábrica, no armazém do distribuidor, no porto, no aeroporto, na transportadora, na fronteira, enfim. Identifique o local e o que está incluso no preço, por meio das siglas CIF (cost, insurance and freight) para os custos de seguro e frete inclusos e FOB (free on board) para mercadorias que serão retiradas pelo comprador.

Certifique-se de que estas condições de entrega correspondam às necessidades da sua empresa antes de avaliar o preço final!

Diferentes informações

Se duas cotações para o mesmo produto ou serviço apresentarem informações diferentes, a melhor coisa a fazer é destrinchar a cotação, ponto a ponto. Pegue cada categoria que mencionamos acima e monte uma planilha. Em seguida, divida cada cotação nesses pontos, preencha o preço individual de cada um e insira os detalhes conforme eles aparecem.

Por exemplo: se um fornecedor oferece frete grátis e uma taxa para montagem do equipamento, e outro fornecedor considera frete e montagem uma taxa única, você deve inserir essas informações separadamente na tabela, mas adicionar os valores do primeiro fornecedor, para fazer uma comparação correta com o segundo.

Ao fazer isso, você será capaz de comparar cotações que parecem ser completamente diferentes!

Então, você se sente preparado para comparar citações sem perder os pontos centrais? Não se esqueça de desvendar cada cotação, especialmente se houver informações diferentes para comparar. Demora mais tempo do que apenas olhar e comparar os preços finais, mas sua análise torna-se muito mais assertiva, assim como sua escolha de fornecedor.

Você tem maneiras diferentes de analisar e comparar citações? Conte para a gente! Deixe abaixo nos comentários!

Strategic Sourcing: aprimorando o processo de compras

The role of Strategic Force in Procurement 4.0

The advantages of sustainable purchasing and how to implement this concept

Soluparts, uma empresa comercial global

Você também pode deixar a tarefa de comparar orçamentos e escolher os melhores fornecedores com uma empresa especializada em todos os tipos de materiais industriais como a Soluparts.

A Soluparts está apta a oferecer cotações dos fabricantes mais relevantes do mundo – leia uma matéria que mostra nossos diferenciais e saiba como podemos otimizar o dia a dia do seu departamento de compras.

Aproveite e faça um orçamento com a nossa equipe!

 

Voltar ao topo

 


Como montar um bom pedido de compras

How to make a good purchase order

A montagem de uma ordem de compra é uma parte comum da rotina do departamento de compras de uma empresa. Dentro da empresa, o fluxo de materiais é uma parte fundamental da economia do negócio, e se for gerenciado de forma não estratégica, pode resultar em riscos e perdas elevadas.

As empresas que gerenciam as compras de forma ineficiente tendem a tornar-se não competitivas no mercado, o que pode levar à perda de clientes para a concorrência, e subsequente falência. Com isso em mente, a aquisição de insumos de qualidade significa, em suma, manter um alto padrão de qualidade nos serviços prestados. E como sabemos, o serviço de alta qualidade garante a sua permanência no mercado!

Um bom pedido de compras é essencial para garantir isso. Além de organizar as demandas, simplificando o processo de compra e otimizando o tempo, uma boa ordem de compra é fundamental para manter um relacionamento saudável e duradouro com os fornecedores.

O processo dos pedidos de compras segue simples 5 etapas:

1- Análise de Pedidos de Compra

Em geral, as ordens de compra vêm de um departamento ou funcionário solicitante. Com certa frequência, um único departamento ou empregado não têm uma ideia clara do que é o melhor para os interesses da empresa, como preços e condições de pagamento, e tendem a levar em conta apenas a necessidade que eles têm em determinado momento.

Devido a isso, a esmagadora maioria das ordens de compra precisa ser revisada e ajustada à realidade de cada momento da empresa. Isso significa que há alguns problemas de comunicação interna na empresa, e isso pode ser resolvido de forma simples!

Treinar funcionários para preencher uma ordem de compra é fundamental. Apresente cada detalhe do documento e explique a presença de cada um deles lá. Assim, os empregados começam a entender melhor o que estão preenchendo, e farão isso com maior zelo.

É comum que as ordens de compra contenham quantidades, prazos mínimos e máximos para entrega, condições de entrega (montagem do equipamento, possibilidade de montagem na entrega, etc.) e o custo da demanda. Sinta-se livre para incluir qualquer informação que considere útil!

Lembre-se: pedidos de compra precisam ser estrategicamente pensados para tornar mais fácil encontrar fornecedores e fechar o negócio!

2- Seleção de fornecedores

Depois de identificar a necessidade de compras, é hora de selecionar fornecedores. Para isso, é feita uma pesquisa para escolher as melhores opções para cada demanda, e as cotações de preços são solicitadas para avaliação.

Para escolher os fornecedores mais adequados, são considerados fatores como a reputação da empresa, preço, pontualidade e cumprimento de prazos e condições, experiência da empresa na área, critérios de negociação e até mesmo os valores que regem a atividade da empresa.

Esta tarefa precisa ser feita com cautela para que a escolha dos fornecedores seja assertiva!

Uma vez escolhidos, os fornecedores devem enviar cotações, contendo os preços e condições que podem oferecer para cada necessidade. Lembre-se de pedir cotações completas, com todas as informações possíveis! Isso é importante para que você possa cruzar esses dados com o que foi informado na ordem de compra e decidir qual fornecedor irá atendê-lo melhor.

Atenção: Tente manter este processo o mais leve e rápido quanto possível, para que não cause atrasos nos próximos passos!

3- Escolha do fornecedor e envio do pedido

Depois de receber as cotações, é hora de pesar os prós e contras de cada fornecedor. Além de analisar os preços e as condições que cada empresa propôs, você pode solicitar amostras ou demonstrações dos produtos, para ajudá-lo na escolha final.

Fornecedor escolhido, o pedido de compras é enviado, e a partir daqui o processo estará fora de suas mãos, momentaneamente!

Aqui está uma nota: Sempre defina um tempo médio para enviar sua ordem de compras para os fornecedores, para criar um padrão dentro de sua empresa. Seguindo sempre este prazo, você desenvolve um fator de credibilidade a mais para cobrar o fornecedor de cumprir os prazos dele!

4- Entrega de produto

Quando receber uma entrega, verifique se todas as condições do pedido de compra foram atendidas. Verifique quantidades, formatos e outros dados na fatura, e cuidado com incidentes ou atrasos não relatados ou justificados.

Uma vez conferida, a mercadoria pode ser enviada para o departamento solicitante, que fará uma nova conferência, também necessária. O requerente deve informar se tudo está de acordo, e liberar o pedido para a última etapa!

5- Faturamento e pagamento do fornecedor

Após todas as conferências necessárias, o departamento responsável pelo pagamento deve receber a fatura, o relatório de recebimento e o aceite da área requerente. Com esta informação na mão, a fatura será aprovada e paga!

Se tudo correr bem, sem quaisquer circunstâncias imprevistas ou problemas, esta será a base para os próximos negócios.

Agora, algumas dicas finais:

6- Use software de gerenciamento

Você pode tornar o processo mais fácil e mais organizado com a ajuda de um software de gerenciamento. Existem diversas opções disponíveis, que permitem inserir todas as informações importantes e fazer acompanhamento rápido em cada pedido.

7- Faça bom controle de seu inventário

A melhor maneira de evitar comprar itens desnecessários é manter um bom controle do inventário. Você também pode usar um software de gerenciamento aqui, para tornar as coisas mais simples de acompanhar e muito mais organizadas.

8- Respeite as previsões de vendas

Cada empresa faz previsões sobre as expectativas de vendas para o próximo ano ou semestre. O que algumas pessoas parecem esquecer é que as previsões de vendas são fundamentais para entender qual será a situação financeira para o período em questão.

Ao analisar os pedidos de compra, sempre verifique se as previsões de vendas justificam a aquisição, e se é possível pagá-la sem comprometer o orçamento da empresa.

Sempre ajuste suas previsões de compra às previsões de vendas! Ainda que algumas das compras venham de necessidades não planejadas, a maioria delas são manutenções preditivas e substituições que você pode mapear com bastante facilidade.

Esperamos que você tenha aprendido porque é tão importante montar um bom pedido de compras e como montá-los sem complicação! 

Soluparts oferece o Contrato Anual de Compra. Com ele, o cliente garante os preços cotados por um ano – a partir da assinatura do documento – e só precisa enviar o pedido de compra da peça desejada quando necessário, aumentando a produtividade, reduzindo custos e otimizando o tempo do profissional em a área.

Converse com nossos especialistas e saiba como simplificar a gestão de contratos em compras: VERIFIQUE O CONTRATO ANUAL

 

Voltar ao topo

 


7 KPIs estratégicos para o setor de compras

Comprador recebendo cargas de spare parts

Você sabe o que as melhores estratégias têm em comum, além do sucesso absoluto?

Algumas pesquisas mostram que mais de metade das empresas consideram-se mais bem sucedido apenas porque elas mantêm um olhar mais atento sobre os indicadores de desempenho. E essas empresas não estão erradas!

Basicamente, seguir os indicadores de desempenho é a melhor maneira de determinar os resultados da estratégia – quais decisões estavam corretas, quais não foram, quanto dinheiro foi salvo ou perdido no processo… É tudo sobre os dados!

Dentro de uma empresa, cada departamento tem seus próprios indicadores, que exibem a qualidade e a eficiência do trabalho. Que indicadores são usados para medir o desempenho de seu departamento na empresa?

Aqui, nós gostamos de usar alguns KPIs!

Indicadores Chave de Performance

Os Indicadores Chave de Desempenho (KPI’s) são um conjunto de parâmetros utilizados para avaliar o desempenho de diferentes áreas de uma organização. Este tipo de gestão surgiu no início dos anos 90, e agora é considerado a melhor maneira de acompanhar as métricas mais importantes em cada setor de qualquer negócio.

Os KPIs são relevantes não só porque permitem medir e avaliar o desempenho em cada setor, mas principalmente porque facilitam ao gerente a identificação dos direitos e das injustiças e quais áreas precisam de mais investimento e atenção.

KPIs no Departamento de Compras

Departamento de compras é um dos setores mais importantes em qualquer negócio, grandes ou pequenos. Este setor é responsável pela mediação do relacionamento da empresa com os fornecedores: desde a escolha do melhor fornecedor ao melhor preço e qualidade, até o controle de padrões de desempenho, sem gestão efetiva, o departamento de compras fica desorganizado e pode ser responsável por grandes perdas – E até falência da empresa.

Para medir o desempenho do departamento de compras, alguns KPIs não podem ser esquecidos! Vamos passar pelos 7 KPIs mais essenciais para acompanhar o departamento de compras:

#1. Entrega:

Este KPI mede quão bem o departamento de compras é quando se trata de encontrar o que a organização precisa quando ela precisa.

Como medir: Número de entregas realizadas a tempo / Número total de entregas por fornecedor

Importante: a empresa não deve penalizar um fornecedor por falta de datas de entrega, se o prazo de entrega exigido pelo fornecedor não for cumprido pela empresa ou uma alteração for solicitada no pedido. Estas duas situações precisam ser levadas em consideração ao calcular a métrica.

#2. Cycle time:

É o tempo médio gasto entre o momento em que a requisição de outro setor é enviada e a colocação do pedido. Em outras palavras, o tempo que o departamento de compras leva para atender as necessidades da organização.

Como medir: Data de colocação da ordem de compra – Data de submissão da requisição

Esta métrica geralmente é medida em dias e exclui o lead time do fornecedor.

#3. Lead-time do fornecedor:

É a quantidade média de tempo gasto entre o ponto de ordem para a entrega.

Como medir: Data de entrega – Data da encomenda

Esta métrica também é medida em dias e deve ser medida por fornecedor. Relaciona-se diretamente com o KPI de Entrega.

# 4. Qualidade:

É importante acompanhar os padrões de qualidade, o que significa saber exatamente se as mercadorias adquiridas atendem às necessidades da empresa. Se sim, ótimo. Caso contrário, poderá ser necessária uma mudança de fornecedor – leia aqui sobre compliance no departamento de compras.

Como medir: Quantidade de itens rejeitados / Quantidade total de itens encomendados

Esta métrica é normalmente calculada mensalmente.

Se a porcentagem for muito alta, uma análise deve ser realizada para determinar por que os itens estão sendo rejeitados, se é devido a problemas com o fornecedor, com as ordens de compra ou qualquer outra coisa. Para melhorar a estratégia do seu departamento de compras, leia nosso artigo sobre Strategic Sourcing.

# 5. Risco de inventário:

A obsolescência de bens é um problema real em empresas que fazem grandes compras. Ao longo do tempo, todo o inventário pode tornar-se obsoleto, e o dinheiro gasto para comprar e mantê-lo é desperdiçado – leia aqui as aplicações dos conceitos Opex e Capex, considerando a era da indústria 4.0.

Como medir: Quantia de dinheiro perdida por obsolescência / Valor total do inventário

Esta métrica é geralmente medido mensalmente, mas também pode ser por trimestre ou semestre.

A Soluparts pode ajudá-lo a encontrar peças de reposição obsoletas: envie-nos uma solicitação de cotação.

#6. Esforços de Capacitação:

Esta métrica deve ser mais utilizado em todas as empresas, grandes e pequenos. Aqui, o gerente de compras deve verificar se o pessoal está se esforçando para oferecer mais qualidade e eficiência no trabalho.

Manter abas sobre o número de funcionários de compras com certificações que melhoram o seu desempenho no trabalho. As certificações podem ser graus de faculdade, participação em palestras, especializações, MBAs, etc Quanto mais eles buscam o conhecimento e melhoria, o melhor para a empresa-  confira 3 habilidades essenciais para adquirir profissionais para se destacar na era digital.

Esta é uma ótima maneira de descobrir se a equipe se sente motivada e motivada, e também para recompensar os funcionários que mostram os maiores esforços de melhoria. Finalmente, é uma maneira fácil de perceber a necessidade de fornecer treinamento para a equipe.

# 7 Custo:

Aqui, estamos olhando para 3 métricas.

O número um é a prevenção de custos, que ajuda a equipe de compras a encontrar o preço mais baixo para o mesmo bem entre os fornecedores.

Veja como calculá-lo: Preço de compra real – Preço mais baixo cotado

Número dois, economia de custos. Este indicador difere do último, pois mostra o quanto o departamento conseguiu economizar ao comprar o mesmo bem, do mesmo fornecedor, pela segunda vez, por um preço mais baixo. Ele demonstra o quão bom é o departamento quando está negociando.

O cálculo é este: Preço de compra real – último preço pago

Por último, vem o bem conhecido ROI, Return Over Investment. Ele mostra se os investimentos foram feitos com sabedoria, se o retorno é positivo. Se for negativo, isso significa que algo deu errado no processo e a empresa está perdendo dinheiro – veja aqui a melhor maneira de comparar cotações.

ROI = (Economia de Custo + Prevenção de Custo) / Custo da Operação de Compra

Conclusão

Estes 7 são apenas exemplos de KPIs que você deve seguir em sua empresa! Ao acompanhar esses indicadores, sua equipe de compras será capaz de entender melhor os hábitos de compra da empresa, o desempenho dos fornecedores e se os procedimentos estão funcionando como era suposto. Assim, torna-se mais fácil fazer mudanças de pessoal, realocar investimentos, em suma: avaliar as questões e encontrar as soluções adequadas.

Além de analisar os KPIs, você acompanha as novas tecnologias do departamento de compras? Temos alguns artigos a esse respeito que você poderá ler:

O setor de compras na indústria 4.0
Benefícios de uma cadeia de suprimentos inteligente
A segunda onda da indústria 4.0

A Soluparts – uma empresa global com escritórios no Brasil, Alemanha, Portugal, Hong Kong e Estados Unidos – pode conectar você aos fabricantes mais relevantes do mundo.

Somos especializados na compra de todos os tipos de materiais industriais e temos acesso a milhares de produtos e fornecedores de todo o mundo – envie-nos uma solicitação de cotação.

 

Voltar ao topo

 


Opex X Capex: qual o ideal para a indústria 4.0?

OPEX X CAPEX: Which is ideal for industry 4.0

A ascensão de novidades tecnológicas altera rotinas e o funcionamento das empresas, com transformações relacionadas a produtos, processos e pessoas. Além disso, é preciso considerar o cenário econômico no país e no mundo, que requer atenção especial para evitar danos que coloquem em risco a lucratividade e manutenção de negócios.

Neste texto, mostraremos as aplicações dos conceitos Opex e Capex, considerando a era da Indústria 4.0. Leia e saiba qual o melhor caminho para as finanças em sua organização.

Opex e Capex

Opex e Capex são siglas que traduzem custos e despesas de uma empresa em funcionamento – sendo muito usadas ​​no momento de fazer o planejamento financeiro de uma organização.

Capex, ou Despesas de capital, é uma despesa relacionada a investimentos e aquisições de bens de capital, enquanto Opex, ou Despesas operacionais , tem foco nas despesas e custos com manutenção de equipamentos e recursos relacionados a atividades e serviços da empresa.

A compra de uma impressora para imprimir catálogos, por exemplo, é Capex. Já a contratação de uma gráfica para impressão desses materiais é Opex.

No primeiro caso, o pagamento é efetuado no ato da compra e os descontos de tributação ocorrem a partir da depreciação do bem, enquanto no segundo os gastos ocorrem somente quando há necessidade do serviço e a dedução de tributação ocorre no ano corrente.

Opex e Capex na Indústria 4.0

Diante do rápido avanço tecnológico – característica inerente à Indústria 4.0, que já chegou à sua segunda onda -, o Opex passou a ocupar papel de protagonismo nas organizações. E existem bons argumentos para isso.

O ritmo das descobertas e inovações tecnológicas que tornam as tecnologias ultrapassadas mais rapidamente, bem como a possibilidade de terceirizar serviços e diminuir os encargos, fazem com que o Opex ofereça uma excelente relação custo-benefício para negócios.

Assim, ao invés de empregar um alto investimento na aquisição de computadores, por exemplo, é possível alugar os equipamentos. Além da economia de capital, a empresa:

  • não precisa se preocupar com a manutenção, que já está incluída no valor do aluguel;
  • evita depreciação, já que todo produto ou equipamento perde valor tão logo saia da loja;
  • pode substituir mais facilmente os equipamentos por outros mais modernos, sempre que necessário – inclusive, é possível alterar o fornecedor, ao final do contrato;
  • uma empresa não precisa se descapitalizar, mantendo o dinheiro em caixa ou usando-o para o que julgar mais interessante.

Não podemos esquecer, no entanto, que despesas com Capex são incorporadas como ativos no balanço da empresa. Esses bens tangíveis são os responsáveis ​​por demonstrar o valor patrimonial da organização, fazendo com que ela passe a ter maior valor no mercado.

Outros exemplos de substituição de Capex por Opex são:

  • aluguel de um imóvel comercial (Opex), ao invés de comprá-lo; 
  • assinatura de aplicativos usando o modelo de software como serviço (SaaS), no lugar de aquisição definitiva (Capex).

No próximo tópico, saiba mais sobre essas duas perspectivas, suas vantagens e desvantagens, tendo em vista a fase atual da indústria mundial e de que modo devem ser analisados ​​para gerar benefícios às atividades.

Capex e Opex: qual é o ideal na Indústria 4.0?

Para começar a responder essa questão, confira as principais vantagens e desvantagens de Opex e Capex:

  • Vantagens – Opex : maior facilidade de aprovação dos gastos (que costuma ser menor, quando comparados à outra modalidade); maior flexibilização dos custos, sem recorrer à descapitalização; dedução na tributação do ano corrente;
  • Desvantagens – Opex : valores são compreendidos como despesas (e não como investimentos); há possibilidade de custos altos a longo prazo;
  • Vantagens – Capex : o valor gasto é compreendido como investimento; dá retorno a longo prazo; aumento do fluxo de caixa dos ativos;
  • Desvantagens – Capex : altos custos em um curto prazo; maior dificuldade na aprovação dos gastos, geralmente maiores no Opex; depreciação dos bens adquiridos.

Decidir quanto ao uso de Capex ou Opex , portanto, depende de  uma avaliação que identifique a melhor opção para os resultados organizacionais, sendo essencial um estudo criterioso para comparar os custos de: fabricação de equipamentos, aquisição ou fornecimento de serviços, impostos, receitas e tempo de retorno do investimento em cada uma das opções (Capex e Opex).

Mas, como dissemos, é inegável que o Opex oferece a agilidade e a flexibilidade necessárias para as empresas manterem-se competitivas em um mercado que, atualmente, vive em constante mudança, fazendo uso dos mais modernos produtos e serviços e gerando economia para a organização.

Aliás, o momento do mercado atual até ganhou um nome próprio. É o momento VUCA, acrônimo que descreve quatro recursos muito presentes no nosso dia a dia: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade (em inglês: volatility, uncertainty, complexity e ambiguity) – saiba mais lendo este artigo da Forbes.

Ter subsídios para definir Capex e Opex, garantirá os melhores benefícios para sua empresa. E, por falar em vantagens, aproveite para conhecer os diferenciais da Soluparts lendo este artigo sobre nossa proposta de valor

 

Voltar ao topo

Also available in: English Español