Robótica: papel dos robôs na cadeia de suprimentos moderna

Share to

Robótica: papel dos robôs na cadeia de suprimentos moderna

Also available in: English Español

A utilização crescente de tecnologia que marca a chamada Indústria 4.0, vem sendo discutida por diferentes setores econômicos, a fim de atender as mudanças globais ocorridas nas últimas décadas.

Esta preocupação foi reforçada recentemente, em decorrência da pandemia da Covid-19, que impactou (e seguirá impactando, segundo previsões) as nossas vidas pelos próximos anos.

Há vários exemplos de avanços e desafios tecnológicos que estão acontecendo em áreas da economia. Na cadeia de suprimentos, por exemplo, uma dos desafios é a automatização de atividades que são feitas por humanos.

Segundo estudo da DHL sobre robótica na área de logística, em torno de 80% das atividades de centros de operações ainda são feitas manualmente, porém este número mudará drasticamente em um futuro próximo.

Experiências já vem sendo feitas nesse sentido e você conhecerá algumas delas lendo este artigo. Acompanhe!

Impacto da robótica na supply chain

Um recente post do portal RoboticsBiz, especializado no assunto, diz que há duas questões relevantes relacionadas à supply chain moderna: a primeira refere-se à necessidade crescente de tecnologia para dar conta da quantidade de entregas (por exemplo, dados comprovam o aumento da demanda de venda em varejo online em países como Estados Unidos, China, França, Alemanha, Reino Unido, entre outros). Já a segunda aponta para a redução da disponibilidade de mão de obra qualificada voltada a este tipo de serviço.

A revista Forbes também publicou recentemente um artigo sobre o tema, discutindo os impactos da tecnologia autônoma na supply chain, através do auxílio no transporte de bens sem a participação humana (ou com interferência reduzida) e de um controle mais apurado de inventários.

Até recentemente, percebiam-se dificuldades tecnológicas para a implementação de robôs nas cadeias de suprimento e atividades de logística. Porém, esta questão está se desenvolvendo rapidamente e podemos ver hoje robôs que apresentam alto grau de precisão em suas funções, auxiliando na redução de gastos e aumento da produtividade.

Além do uso de robôs em depósitos, tema discutido anteriormente em artigo sobre os benefícios de uma cadeia de suprimentos inteligente, há outras soluções sendo desenvolvidas e que se encontram em diferentes etapas de aperfeiçoamento, sendo importantes para a supply chain moderna. Veja abaixo algumas delas.

1. Robôs nas lojas

Existem já alguns casos de robôs móveis e drones em lojas, auxiliando no controle de estoque e preço dos produtos nas prateleiras. Recentemente, a Walmart anunciou que utilizará robôs da empresa Bossa Nova Robotics para realizar estas atividades, facilitando o trabalho dos funcionários de suas unidades.

2. Caminhões autônomos

Casos práticos de utilização de caminhões autônomos, como em minas de ferro na Austrália, mostram que eles podem ajudar a aumentar a eficiência das empresas e a segurança das equipes.

Vários testes de desenvolvimento de caminhões autônomos já foram realizados nos últimos anos. A Uber, por exemplo, já realizou uma experiência bem sucedida há três anos, mas decidiu priorizar outras frentes de seu negócio – outros importantes atores do mercado de caminhões autônomos são: Embark, Daimler/Mercedes, Volvo, Tesla e TuSimple.

Porém, existe uma série de obstáculos para este tipo de atividade: há um risco significativo de acidentes que podem ocasionar a morte de pessoas. A percepção pública em relação à segurança deste tipo de veículo é um ponto crucial que influenciará o futuro dos caminhões autônomos.

Outro desafio encontrado refere-se à redução de investimentos para o desenvolvimento de caminhões autônomos. A empresa Starsky Robots é um caso: teve nos últimos anos experiências bem sucedidas com esta modalidade de caminhões, porém está encerrando suas atividades por conta da redução de aportes financeiros.

Uma possibilidade para o futuro é a mudança de foco, de veículos totalmente autônomos para modelos mais simples semiautônomos, que permitirá a redução da ação humana, com a participação de robôs em determinadas etapas da supply chain.

3. Entregas autônomas

O sistema de entregas (entre elas, as “last mile”, do centro de distribuições até o cliente) torna-se mais complexo com o aumento crescente da demanda de entrega em domicílio, gerando a necessidade de investimentos em automatização para reduzir custos e suporte a trabalhadores a fim de aumentar a produtividade.

Várias empresas já estão testando esta tecnologia em cidades e campi de universidades. A ideia é que robôs levem a encomenda às casas das pessoas, sendo necessário digitar um código para liberar o produto que se encontra em um baú. A Ford, por exemplo, vem testando a tecnologia para sentir a recepção dos clientes em relação a este tipo de entrega.

É importante destacar que os robôs também poderão ajudar os trabalhadores em entregas mais complexas, com o uso de exoesqueletos que auxiliarão a erguer e manusear cargas maiores e pesadas. Drones também poderão ser utilizados para entregas, em casos de pessoas que moram em locais remotos. E robôs poderão receber a encomenda nas residências dos clientes, caso eles não estejam disponíveis.

4. Trens de carga autônomos

Testes também já foram realizados nos Estados Unidos para este tipo de transporte autônomo. Regulações federais no país estão indicando para a liberação, entretanto, as autoridades reforçam a necessidade de haver tecnologias anticolisão para evitar acidentes. Como solução, empresas de transporte de carga já começaram a implementar sistemas de Inteligência Artificial e Machine Learning em seus protocolos de segurança.

Desafios para o futuro

Há uma série de iniciativas que estão promovendo o aumento da automatização na supply chain. Para o aperfeiçoamento desta atividade, centros de tecnologia avançada estão sendo criados para estimular a inovação e o desenvolvimento de soluções (como o caso da Honeywell Robots, nos Estados Unidos).

Por exemplo, uma importante novidade prevista é a de que os robôs do futuro ficarão conectados à nuvem, permitindo o controle e a precisão cada vez maiores em suas tarefas.

Desafios deverão ser enfrentados, como as questões de percepção pública, segurança e definição de leis que permitam a utilização deste tipo de tecnologia, inclusive em supply chain. Porém, os especialistas indicam um futuro promissor para esta área.

A utilização de robôs na cadeia de suprimentos ainda está em estágio inicial, mas promete oferecer muitas facilidades às empresas.

E por falar em facilidades, a Soluparts é uma empresa especializada em compras de materiais indiretos e está à disposição para otimizar seu processo de compras. Fale com nossos especialistas e saiba mais!

 

Also available in: English Español

Leave your comment

Please enter your name.
Please enter your email address.
Please enter a valid email address.
Please enter comment.