Benefícios de realizar a compra de materiais indiretos no exterior

Share to

Benefícios de realizar a compra de materiais indiretos no exterior

Also available in: English Español

 

Nos dias atuais, a economia mundial é caracterizada pela presença de inúmeras cadeias de suprimentos globais, com produtos sendo comercializados por parceiros em diferentes países.

Neste contexto, o processo de importação ganha força, agilidade e praticidade e torna-se uma decisão vantajosa. Por exemplo, no setor automotivo, de acordo com levantamento feito pela Revista Quatro Rodas, importar peças pode ser 80% mais barato que comprar de fornecedores locais.

Por mais que esta seja uma prática comum adotada em todo o mundo, há ainda um certo receio e desconhecimento no setor empresarial em relação aos procedimentos que envolvem a importação. Em muitos casos, os compradores acabam preferindo manter parceiros locais, mesmo pagando mais caro pelas peças, a estabelecer acordos com fornecedores internacionais.

Neste texto, discutiremos os benefícios de realizar a compra de materiais indiretos no exterior. Daremos também algumas dicas relevantes para aumentar o grau de sucesso neste tipo de negociação.

Por que realizar compras internacionais?

Há uma série de motivos que justificam porque importar uma peça de reposição ou material indireto é interessante em comparação a comprar localmente, otimizando o processo de aquisições e aumentando a margem de lucro das empresas:

– Condições mais vantajosas: fatores relativos ao país onde realizará a compra (impostos, média salarial e outros gastos com a produção das peças) devem ser considerados no processo de importação.

– Custos do produto: em muitos casos, o custo da peça é inferior em comparação ao mercado local. Quando o comprador realiza a aquisição de uma peça nacionalizada (produzida no exterior e importada por um fornecedor nacional), estão incluídos no valor: custo de produção, de sua nacionalização e o lucro de quem vende.

– Melhor qualidade do produto: caso opte por uma compra internacional, você pode adquirir um material indireto produzido a partir de tecnologias e processos mais avançados.

– Acesso a recursos exclusivos: alguns materiais só podem ser achados em alguns locais do mundo, garantindo o acesso direto a eles.

9 formas para melhorar os benefícios da importação

Seguem algumas dicas para a condução de compras em contextos internacionais:

1. Analisar frequentemente a sua cadeia de suprimentos

É importante revisar a sua cadeia de abastecimento de tempos em tempos em decorrência de possíveis mudanças ocorridas no mercado externo (como a formação de alianças, o fim de embargos comerciais ou a adoção de novas práticas pelos países).

Isto é, deve-se periodicamente discutir novos e favoráveis acordos de comércio que possam reduzir ou eliminar impostos, tendências mundiais de produção de determinado produto e novos acordos bilaterais entre nações, além de procurar formas para cortar custos ao otimizar o transporte e o pedido feito.

Outro ponto de atenção é o tempo de logística e o tipo de transporte adotado. Dependendo da peça, o frete mais conveniente é o aéreo, usado em 80% das vezes pelas empresas. Nesse caso, o prazo para recebimento do material pode chegar a uma semana, que corresponde, algumas vezes, ao mesmo tempo da entrega de uma peça comprada no mercado nacional.

No caso da peça precisar de frete marítimo, cuja média de tempo de entrega é superior a um mês, pode compensar caso o seu departamento tenho um bom planejamento de aquisições de peças. Vale lembrar também, que ao comprar em grande quantidade o preço do seu frete diminui.

2. Entender bem a origem e disponibilidade de peças nos mercados interno e externo

Antes de definir quais peças serão compradas no exterior, é importante fazer uma avaliação criteriosa para identificar e entender qual é a disponibilidade desse material nos mercado nacional e internacional.

Por exemplo, um material indireto de dimensões menores e grande demanda, provavelmente, é constantemente importado em grande quantidade pelo fornecedor nacional, o que deixa seu custo vantajoso mesmo no mercado doméstico. Nesses casos, a peça pode ter inclusive pronta entrega.

Verifique também a existência de peças similares, pode ser que alguma delas esteja disponível no mercado nacional. Para isso, procure entender bem a demanda da área de manutenção da empresa.

Por outro lado, no caso de uma peça obsoleta ou usada apenas em situações mais específicas, a importação pode valer a pena. Observe também se a peça necessária é produzida apenas sob demanda ou se está sempre disponível em estoque para compra, em caso afirmativo, tente entender qual é a localização do depósito da sua empresa mais próximo de determinado fabricante.

3. Realizar uma avaliação de riscos

Além de ter um colaborador da equipe focado nessa questão, sugere-se que a empresa tenha um time de logística internacional que avalie os riscos e para que você seja informado sobre possíveis problemas antes que eles ocorram e tenha opções alternativas para aumentar a segurança de sua operação.

No momento de planejar a nacionalização, assegure-se de que sua empresa esteja trabalhando com bons agentes (seguradoras, transportadoras, despachantes e agentes de carga reconhecidos no mercado) e mantenha contato com todos durante todo o processo.

4. Manter relacionamento com associações locais de comércio

As associações voltadas para este tema, seja no país onde a empresa está localizada ou onde pretende realizar a compra, fornecem notícias e informações importantes sobre comércio internacional e dicas de segurança. Podem inclusive te ajudar a garantir novos negócios, intermediar novas parcerias e aumentar sua lista de fornecedores e contatos confiáveis.

5. Contar com um bom software para o gerenciamento das aquisições

Trabalhar com diferentes culturas, sistemas monetários, leis e línguas pode tornar o controle de pagamento, o cumprimento das regras e de prazos algo muito complexo. Ter um bom sistema de informação para gerenciar compras, contratos e comunicação com parceiros e outros públicos é importante para evitar que algo seja esquecido. Sobre o assunto, leia nosso artigo sobre os melhores softwares para gerenciamento de compras.

6. Definir metas de trabalho

Estabelecer metas é crucial para alcançar o sucesso esperado; por exemplo, determinar a redução de gastos que se pode conseguir ao começar a comprar algumas peças do mercado internacional ao invés do nacional.

É uma atividade de alta complexidade, já que envolve questões externas à empresa, fugindo de seu controle. Entretanto, mesmo que a meta não seja atingida, é uma boa forma para avaliar as práticas de negócio e criar estratégias para futuras negociações comerciais com parceiros internacionais.

Mas antes de definir suas metas, procure entender qual a previsão das demandas de determinado período e consulte o orçamento disponível para seu departamento.

7. Aumentar a quantidade de pedidos

Pedidos em massa auxiliam na redução de custos relacionados a pagamento, remessa e taxas alfandegárias. Ao desenvolver um bom relacionamento com o fornecedor, é possível, por exemplo, negociar a importação de mais produtos a um custo reduzido. Nesse sentido, a Soluparts oferece a possibilidade de consolidação de carga.

Também é uma boa estratégia comprar produtos em determinados períodos do ano, eliminando a necessidade de solicitá-los quando a demanda é alta, e preferir fazer grandes pedidos a solicitar remessas pontuais menores. Sobre o tema, conheça o Contrato Anual, oferecido pela Soluparts.

8. Pesquisar a área local para compreender preocupações

Conhecer bem a área para mapear possíveis pontos de atenção e mitigá-los antes de fechar negócios com o parceiro internacional é peça fundamental para ter uma compra bem sucedida. Essa é uma tarefa necessária mas que toma tempo. Sendo assim, o ideal é ter um parceiro internacional que já conhece todos os mercados e atua em 40 países como a Soluparts.

9. Definir claramente as expectativas

Ter por escrito o acordo comercial firmado reduz a possibilidade de haver problemas e oferecer formas para avaliar as condições estabelecidas caso haja algum conflito, garantindo segurança a ambas as partes. Sobre este ponto, veja o nosso artigo sobre os benefícios da gestão de contratos em empresas.

Conclusão

Neste artigo, discutimos os benefícios de realizar a compra de materiais indiretos no mercado internacional, auxiliando na otimização da cadeia de suprimentos e redução de custos operacionais da empresa.

O valor da peça será inferior caso opte por adquiri-lo com um fornecedor no exterior. Algumas vezes, a importação de um item demanda planejamento, mas ao contar com um parceiro especializado em realizar a compra de materiais indiretos em outros países, você pode conseguir um prazo de entrega muito próximo ao praticado por vendedores nacionais.

Dica: O importante é não deixar de fazer uma compra internacional com boas condições comerciais por não conhecer o processo de importação. Comprar peças fora do país pode oferecer vários benefícios e reduzir muito os gastos do departamento de compras. O time de logística da Soluparts e a logística da sua empresa vão cuidar de todo o processo para a peça chegar, na hora certa, na sua indústria.

Na Soluparts, temos como parceiros agentes de logísticas altamente confiáveis, que trabalham com tecnologias modernas (como rastreamento GPS) para garantir o acompanhamento e a fiscalização da carga a fim de evitar problemas na entrega ou atrasos.

Normalmente, utilizamos o Incoterms EXW (Ex Works), porém, é possível adaptar a nossa logística e entrega ao cliente, deixando-o livre para escolher o Incoterm que lhe for mais conveniente.

Entre em contato com um especialista Soluparts e tire as suas dúvidas.

 

Also available in: English Español

Leave your comment

Please enter your name.
Please enter your email address.
Please enter a valid email address.
Please enter comment.